Início do cabeçalho do portal da UFERSA

Programa de Pós-Graduação em Produção Animal

Infraestrutura

⇒ Laboratórios

O PPGPA possui uma rede física constituída por 29 (vinte e nove) laboratórios, a qual permite o desenvolvimento de atividades relacionadas à pesquisa, ensino e extensão. Além disso, essa rede própria conta com a colaboração de instituições parceiras na realização de análises específicas de docentes e discentes do PPGPA. Abaixo, encontram-se os laboratórios, seus descritivos e suas principais atividades por linha de pesquisa.

• Laboratórios e setores de pesquisa associados à linha de Produção de ruminantes:

Um total de 11 (onze) laboratórios/setores de pesquisa compõe a linha de Produção de ruminantes, perfazendo 37,9% do total de laboratórios do PPGPA.

  1. Laboratório de Nutrição Animal: O laboratório de nutrição animal está habilitado para realizar análise de alimentos e de rações, bem como subsidiar ensaios de biodisponibilidade de nutrientes, com instrumentalização de um espaço físico de cerca de 150m2 com os seguintes equipamentos: Bomba Calorimétrica Adiabática; Capela de Exaustão; Digestor, Destilador e Titulador de Nitrogênio – Kjeldahl; Determinador de Fibras – fibertec; Bomba de vácuo; Moinhos de Facas – Willey; Estufas de Circulação de Forçada de Ar; Forno Mufla; Estufas de Esterilização e Secagem; Destilador de Água; Extrator de Lipídios – Soxhlet; Balanças Analíticas de Precisão; Chapa aquecedora; Dessecadores; Colorímetro UV visível fotoelétrico; PHmetro; Balanças semi-analíticas digitais; Centrífuga e Agitador de Tubos; Analisador Granulométrico; Refrigerador e Freezer. Todo o material de consumo, vidrarias e reagentes, pertinentes às análises químico-bromatológicas.
  2. Setor de Bovinocultura de Leite: Esse setor encontra-se instalado no interior do campus central da UFERSA numa área total de 5,0 hectares, dividido em 6 piquetes, sendo que 800 m² é de área construída e possui um rebanho de aproximadamente 50 animais da raça Holandesa.
  3. Setor de Produção de Ovinos e Caprinos: Esse setor encontra-se instalado no interior do campus central da UFERSA numa área total de aproximadamente 2,0 hectares, destinada para um banco de proteína com área irrigada de 0,5 hectare cultivado com leucena e uma área de 1,0 hectare dividido em oito piquetes destinada ao pastejo rotacionado irrigado de capim Tanzânia. O aprisco possui aproximadamente 90,0 m2 e em seu interior possui um escritório/farmácia e 10 baias (aproximadamente 7,0 m2 cada). O aprisco conta ainda com plataforma de manejo, seringa, brete, balança, tronco de contenção com lance de 180º e duas plataformas de ordenha.
  4. Fábrica de Ração: subsidia a alimentação dos animais dos setores zootécnicos, parque zoobotânico, do centro de multiplicação de animais silvestres, biotério e hospital veterinário. Possui uma área construída de cerca de 115 m² e está equipada com balanças, moinho forrageiro e desintegrador de grãos, misturador e peletizadora.
  5. Setor de Produção de forragem da UFERSA: O setor de Forragicultura (SEFOR) foi criado em 2008 e fica localizado próximo ao Núcleo de Ensino e Pesquisa de Pequenos Ruminantes (NEPPER) na sede da UFERSA, em Mossoró-RN. A área contempla um campo agrostológico composto de canteiros (2,0 x 1,5 m) com capacidade para 150 espécies, tendo sido implantada cerca 40 espécies forrageiras, dentre elas: gramíneas, leguminosas, cactáceas e outras, nativas e exóticas. Ainda dividi manutenção com o Programa de Pós-Graduação e Fitotecnia que cuida de cerca de 30 espécies medicinais. A área segue em expansão de implantação de canteiros com novas espécies, conforme acontece as práticas de disciplinas ligadas a Forragicultura, Produção e Nutrição Animal da graduação e pós-graduação. A área disponibiliza um secador solar, 10 x 10 m para produção de feno e área para realização de ensilagem de superfície, com disponibilidade de picadora forrageira elétrica fixa, carroção, trator e implementos afins. O programa disponibiliza de áreas com 1,2 hectares de capineira de capim elefante irrigada na sede da Instituição e na Fazenda Experimental Rafael Fernandes, localizada a 20 km da sede da UFERSA em Mossoró-RN.

A Ufersa dispõe de pivô central com dimensionamento de nove hectares, em pleno funcionamento na Fazenda Experimental Rafael Fernandes. Instalado desde 2016, foi adquirido a partir de um projeto FINEP elaborado pelo PPGPA para pesquisa e produção de volumoso para os setores produtivos da instituição (bovinos e ovinos). As principais espécies plantadas são milho e sorgo.

 

• Laboratórios e setores de pesquisa associados à linha de Produção de não ruminantes: Um total de 10 (dez) laboratórios compõe a linha de Produção de não ruminantes, perfazendo 34,5% do total de laboratórios do PPGPA.

  1. Laboratório de Ecologia de Peixes e Pesca (Campus Leste, UFERSA): O laboratório, sob coordenação de José Luiz Costa Novaes, desenvolve pesquisas sobre peixes de água doce, envolvendo reprodução, alimentação e pesca. Na área de ecologia, desenvolve pesquisas, relacionando os aspectos biológicos dos peixes com o ambiente, bem como as interações existentes entre eles. As pesquisas são desenvolvidas com o objetivo de compreender a estrutura e funcionamento das comunidades e ecossistemas aquáticos do semiárido, fornecendo subsídios para o desenvolvimento de estratégias para ações de conservação e manejo de seus recursos naturais. Na pesca são realizados estudos sobre produção pesqueira e aspectos socioeconômicos dos pescadores de reservatório. O LEPP está localizado no Centro de Pesquisa em Pescas e Aquicultura Sustentável com uma sala de 48 m2 com gabinete de professor e sala para alunos e um laboratório de biométrica com 80 m2. O laboratório possui balança semi-analítica (2), balança eletrônica (1) GPS Garmin modelo eTrex Vista (1), Máquina Fotográfica Fugi Filme (1), Freezer vertical Eletrolux 500 litros (1), motor de popa 15 HP Yamaha (1), barco de alumínio de 6 metros náutica (1), Equipamento de coleta: redes de espera (50), redes de arrastos (3), rede de arrasto para coleta de ictioplâncton (2), fluxomêtro para rede de ictioplâncton (2), Fluxomêtro para medir velocidade da água (2), profundímetro (2) sonda multiparâmetros (1), computadores desktop (4), Micrótomo (1), serra metalográfica (1), microscópio estereoscópio (1).
  2. Laboratório de Ecologia e Dinâmica Populacional de Peixes (Campus Leste, UFERSA): O laboratório, sob coordenação de Cristiano Queiroz Albuquerque, desenvolve pesquisas sobre dinâmica populacional, migração e aspectos gerais da ecologia dos peixes. O laboratório possui sala de amostragem (úmida) sala de processamento (seca) e sala de permanência para professor e alunos. O laboratório possui estufa (1), microscópio óptico (1), estereomicroscópio (1), capela (1), serra metalográfica (1), microtómo (1), banho-maria (1), balança analítica (1) e analisador multi-parâmetros.
  3. Laboratório de estudos em Imunologia e Animais Silvestres (Campus Oeste, UFERSA): O laboratório, sob coordenação de Carlos Ibere, realiza realizar atividades de Pesquisa, Ensino e Extensão, Pesquisa com linhas de pesquisa em animais silvestres, imunologia e derivados, mantendo um acervo fixo e outro rotativo mamíferos, répteis, aves e invertebrados (aranhas, escorpiões e baratas), para suscitar novos talentos na pesquisa e dar suporte a à áreas específicas e correlatas, assim como a prática profissional. Oferece estágios e treinamento para discentes de diferentes instituições da graduação, pós-graduação (mestrado e doutorado), residência médica na área de concentração de clínica e cirurgia do HOVET-UFERSA. Os animais são utilizados e as instalações como base para cursos, exposições para a população, escolas, Tiro de Guerra, polícia ambiental e civil, bombeiros, entre outros. Mantém colaborações com bases de resgate de fauna, Laboratório de Monitoramento de Biota Marinha da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).
  4. Setor de Aqüicultura: Esse setor é formado por 30 tanques (15 m2 de espelho de água cada), 5 tanques de (3 m2 de espelho de água cada), 32 caixas de PVC (1000 litros cada), 1 tanque de engorda (200 m2 de espelho de água), 1 bacia de estabilização (50 m3) e 1 berçario intensivo (15 m3), além da casa de maquinas e de um Laboratório de Aqüicultura de 80 m² com sala de cultivo experimental, sala de ração, biometria e almoxarifado. Os principais equipamentos do setor são: balança semi-analítica, oxímetro, pHmetro, lupa, canhão de luz, microscópio, paquímetro, salinômetro, moinho, maquina de macarrão, geladeira, freezer, bomba flutuante, aquário grande, médio e pequeno.
  5. Setor de Avicultura: Esse setor encontra-se instalado no interior do campus central da UFERSA numa área total de cerca de 3,0 hectares, dividindo-se a área construída em 4 galpões equipados e destinados para criação de frangos de corte ao piso, de galinhas poedeiras ao piso com ninhos ou poedeiras em sistema de gaiolas, além de 1 escritório, 1 almoxarifado e 1 residência. Atualmente, predominam neste setor os projetos de pesquisa envolvidos com sistema de produção de aves de caipiras ou coloniais.
  6. Centro de Multiplicação de Animais Silvestres: O CEMAS está registrado no IBAMA como criadouro científico sob o número 1478912, sendo localizado no interior do Campus central da UFERSA. O CEMAS, como criador com fins científico registrado junto ao IBAMA, tem como principal finalidade a difusão de pesquisas nas diversas áreas do conhecimento e em função disto tem condições de atender diferentes cursos de graduação e de pós-graduação, especialmente aqueles vinculados à área de ciências agrárias. Está organizado em um setor de criação de preás; um setor de criação de cutias; um setor de criação de mocós; um setor de criação de catetos e um setor de criação de emas.
  7. Centro Tecnológico de Apicultura e Meliponicultura do estado do Rio Grande do Norte – CETAPIS: O CETAPIS-RN foi criado em 2008 estando instalado na Fazenda Experimental Rafael Fernandes da UFERSA, no Distrito Alagoinha, Município de Mossoró-RN. O CETAPIS foi instalado com recursos do MCT e UFERSA e em parceria com o SEBRAE-RN, e apoio do Governo do Estado do RN, FAPESP, FAPERN, MCT e Prefeitura Municipal de Mossoró, com o objetivo de realizar pesquisas sobre abelhas e dar cobertura aos apicultores e meliponicultores da região de Mossoró, mediante assessoramento técnico-científico e no qual se dedicam docentes, pós-graduandos e estagiários, em especial vinculados com a Área de Pós-Graduação em Ciências Animais da UFERSA. O Laboratório Central e de análise de produtos das abelhas está dotado de equipamentos científicos (microscópio, estéreo-microscópio, balança de precisão, estufas BOD e de secagem, mufla, câmara climática, geladeira, autoclave, Phmetro, Refratômetro, Bojões de CO2 e Nitrogênio líquido, Câmara de Fluxo laminar, etc.), drogas e vidrarias para pesquisas. Apresenta também uma Sala de Seminários mobiliada dotada de recursos audiovisual, internet, computador e impressora, um Laboratório de Meliponicultura com abelhas sem ferrão, Um laboratório de Processamento de Mel com equipamentos apícolas (centrífuga manual, desoperculadora, tanques de decantação de mel etc.) e um Laboratório de Produção de Rainhas e Inseminação Instrumental de rainhas com aparelhagem moderna de inseminação instrumental e um Laboratório de pesquisas sobre comportamento de abelhas dotado de colmeias de observação de paredes de vidro e uma Câmara Climática para estudos de termorregulação e enxameação com sensores para temperatura, umidade etc. e computador para registro de dados, um Laboratório de Processamento de Cera Estampada dotado de tanque derretedor de cera e estampadora de cera modelo Apilani, uma Estação Climática informatizada que atende atualmente a UFERSA, obtida com recursos da FAPESP. O CETAPIS apresenta ainda em outra área da Fazenda três Apiários experimentais com mais de 100 colmeias de abelhas africanizadas e um Apiário Coberto para estudos de termorregulação, uma área destinada a plantas apícolas para orientação dos apicultores e meliponicultores (trilha dos polinizadores), um banco de rainhas selecionadas de Apis melífera para a produção em série de rainhas e um Meliponário com aproximadamente 60 colônias de abelhas sem ferrão.
  8. Setor de suinocultura (UFRN): Atualmente a suinocultura possui 120 animais dentre leitões, matrizes e reprodutores, os quais são utilizados para pesquisas e aulas práticas para alunos desta Instituição. A sua estrutura física é composta por 14 baias destinadas a maternidade, duas baias com piquete anexo, utilizadas pelos reprodutores, além de cinco baias com capacidade para dez matrizes durante a gestação e um galpão experimental para pesquisa contendo sala para ensaio de desempenho, sala para ensaio de metabolismo, sala de ração, banheiro e uma sala para estudos, contendo internet e computador.

• Laboratórios associados à linha tecnologia de produtos de origem animal
Um total de 08 (oito) laboratórios compõe a linha de Sanidade Animal, perfazendo 27,6% do total de laboratórios do PPGPA.

  1. Laboratório de Análises Instrumentais e Sensoriais (Campus Oeste, UFERSA): O laboratório, sob a coordenação de Patrícia Oliveira Lima, propõe-se a realizar análises instrumentais e sensoriais de alimentos. O laboratório possui área livre média de 75 m2, com quadro branco, computadores, monitores, bancadas, mesas, cadeiras, armários (para utensílios, amostras e reagentes químicos) e conta com 10 cabines individuais para testes sensoriais. O laboratório tem alocado um técnico em análises físico-químicas e bromatológicas e dá suporte às pesquisas dos grupos PETRUS/CNPq, NEAC, PET da Zootecnia e outros laboratórios. O laboratório possui Forno de microondas (1), forno elétrico (1), processador de alimentos (1), grill (1), termômetro digital tipo espeto (3), balança digital (2), balança semi-analítica (1), espectrofotômetro portátil (1), texturômetro (1), medidor de pH de penetração para carnes (3), freezers horizontais (3), freezer vertical(1), refrigerador 420 L (1) e utensílios diversos (facas, copos, bandejas, caixas térmicas, entre outros), dispõe de dois computadores e uma impressora. Todos os itens acima descritos foram adquiridos com recursos de projetos aprovados no BNB, FAPERN e MEC.
  2. Laboratório de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Campus Oeste, UFERSA): O laboratório, sob coordenação de Jean Berg Alves da Silva, desenvolve pesquisas voltadas para o desenvolvimento de tecnologias para melhoria da qualidade de produtos de origem animal. O laboratório possui aproximadamente 45 m2, dividido em sala de esterilização e lavagem e laboratório de manipulação e possui os seguintes equipamentos: agitador de tubos AP56; Agitador modelo 130; Autoclave Vertical cs; Balança de bancada KN 2000g; Balança de bancada Mark 500g; Banho – Maria modelo 500-2; Banho –Maria BM02; Chapa aquecedora com agitação; Contador de colônias CP600; Determinador de açucares redutor TE0861; Analisador de leite Ekomilk; Espectrofotômetro SP-220; Estufa de esterilização de secagem; Estufa de esterilização de secagem; Fotômetro de bancada para analise de cor do mel em MMPFUND modelo HI-83221; Incubadora B.O.D. modelo OXY-101; Incubadora BOD para bactéria Olidef; Incubadora B.O.D. para bactéria; Jarra Anaeróbia modelo JÁ 0400; Manta aquecedora 1000ml modelo Q321A25; Medidor de condutividade de bancada microprocessados; Medidor de pH/mV/temp modelo pHS-3B; Medidor de atividade de água da texto 400; Mufla de temperatura até 12000c Hidrossam; Ponteira modelo LM1000 de volume /100-1000ìl; Ponteira modelo LM20 de volume /2-20ìl; Ponteira modelo LM200 de volume /20-200ìl; Refrigerador RSV47 470l; Refratômetro Honey Moisture (12-30%); e Viscosímetro Cup Ford. Finalmente, o laboratório conta uma técnica para contribuição nas atividades.
  3. Laboratório de Tecnologia e Controle de Qualidade do Pescado (Campus Oeste, UFERSA): O laboratório, sob a coordenação do docente Alex Augusto Gonçalves, tem como proposta realizer atividades de tecnologia e controle de qualidade do pescado. O laboratório consta de uma área dividida em: Laboratório de Tecnologia do Pescado (75 m2), Laboratório de Controle de Qualidade (12 m2) e sala de permanência do pesquisador (12 m2). O laboratório dispõe de 01 máquina de fabricação de gelo em escamas, 01 máquina de tirar pele de filés de peixes, 01 moedor de carne, 01 misturadeira de carne, 01 ensacadeira (embutideira) manual, 01 embaladora a vácuo, cilindros de gases para uso em atmosfera modificada (O2/N2/CO2), 01 moinho martelo, 01 ultrafreezer (-45°C), 01 gerador de ozônio, 02 geladeiras expositoras, 02 freezers verticais, 01 fogão 4B, 01 desidratador a gás; 01 defumador artesanal a gás, 01 fritadeira industrial, 02 balanças semi-analíticas, 01 estufade esterilização, 04 mesas em aço inox, 01 microondas, 01 pHmetro, 01 espectrofotômetro, 01 mufla. Apenas os orientados de graduação e pós-graduação que utilizam a estrutura, além das atividades práticas das aulas da graduação e pós-graduação.

4. Laboratórios de Biotecnologia de Alimentos e Tecnologia Agroindustrial (campus leste, UFERSA): coordenado pela professora Karoline Mikaelle de Paiva Soares, o laboratório propõe a aplicação da microbiologia à produção e conservação de alimentos; processamento de alimentos envolvendo enzimas e micro-organismos; pesquisa de micro-organismos patogênicos e deteriorantes de alimentos e as alterações decorrentes. Descrição do espaço físico: laboratórios localizados no complexo de Laboratórios em Tecnologia de Alimentos, no pavimento térreo e tendo em suas proximidades banheiros masculinos e femininos, além de um adaptado, exclusivamente, para atender portadores de necessidades especiais. Laboratórios dotados de bancadas de alvenaria e bancos tecnicamente panejados para o seu uso, mesa e cadeiras, com espaço suficiente para realização das atividades necessárias.

Descrição dos equipamentos e suas quantidades: estufa (3 unidades), autoclave (2 unidades), osmose reversa (1 unidade), balança de precisão (2 unidades), geladeira (1 unidade), câmara fria (1 unidade), B.O.D (2 unidades), agitador magnético (1 unidade), pHmetro (2 unidades), cabine de fluxo laminar (1 unidade), microscópio (2 unidades), banho-maria (1 unidade), freezer (1 unidade).

Descrição da equipe técnica (técnicos e discentes): técnico, alunos de iniciação científica, graduação e pós-graduação (mestrado).

  1. Tecnologia de Alimentos (lado leste, UFERSA): coordenado pela profa Edna Maria Mendes Aroucha: Controle de qualidade de alimentos, possui um laboratório e 4 câmaras frias. Neste laboratório são realizadas as analises no leite e derivados (acidez, densidade, gordura, proteína) e análise da qualidade do mel de abelha (umidade, açúcares redutores, sacarose, atividade diastásica, hidroximetilfurfural, acidez total, cinzas, sólidos insolúveis, análise sensorial), Análise do potencial antioxidante de mel (flavonóides, fenólico, poder antioxidante). Dentre seus equipamentos estão: Termolactodensimetro (densidade), acidimetro Dornic (acidez total); butirômetro (teor de gordura); centrifuga, banho-maria, iogurteira, queijeiras, formas de queijo minas frescal e coalho, prensa para queijo, panelas de 5 e 10 litros, bandejas plásticas, liras para queijo de média textura, freezer, microprocessador de carne, embutideira, espectrofotômetro UV, refratômetro Abbé, colorimetro minolta, potenciômetro digital, câmara fria, destilador de água, fogão, geladeira, capela, balança analítica digital, mufla.

 

• Outros laboratórios associados à Produção animal que dão suporte ao PPGPA:

  1. Laboratório Multiusuários e Laboratório de Sanidade Animal 1, 2 e 3 (Campus Oeste, UFERSA): O laboratório, sob coordenação de Sidney Sakamoto, desenvole pesquisas na área de epidemiologia descritiva e analítica em saúde animal e saúde pública veterináriae desenvolvimento de métodos imunológicos e moleculares de diagnostico. O laboratório possuicentrífugas refrigeradas (02) com rotor intercambiável para microtubos e tubos de 15 mL, aparelho termociclador para PCR com tampa térmica (02), Fotodocumentador com câmera CCd e transiluminador ultravioleta, Cabine de biossegurança classe 2, Fluxo laminar vertical, Freezer -80°C com backup de CO2, Autoclave de bancada (02), Espectrofotômetro 1 a 999 µm, Câmara BOD (02), Freezer -20°C (03), Termociclador para PCR em tempo real com computado acoplado, Sonicador, Termobloco, Vortex, Balança analítica, pHmetro, fonte e cubas de eletroforese horizontal e vertical, purificador de água osmose reversa, Ambientes separados para processamento de DNA pré e pós amplificação, Estufa agitadora para cultivo.

    2. Laboratório de Parasitologia Veterinária (Campus Oeste, UFERSA): Possuí uma área de aproximadamente 30 m2 e está apto a realizar exames paritológicos mais variados desde exame simples até estudo de larvas de helmintos e também está capacidato a realizar estudos com artrópodes de interesse veterinário dentre os vários equipamentos destaca-se: Estufas; Duas centrífugas; Um banho maria; Um microscópio de imunoflorescência; Seis microscópio ótico; Quatro lupas; Becker; Um Erlenmeyer; Pipetas; Duas balanças; Placas de Petri;Uma geladeira;Dois computadores;Bico de Busen e Vidraria.

  2. Laboratório de Análises Clínicas (Campus Oeste, UFERSA): Está localizado no interior do Hospital Veterinário em uma área de 32 m2. Neste laboratório são realizadas determinações hematológicas e bioquímicas de animais domésticos e silvestres. Possui os seguintes equipamentos que podemos destacar: Um aparelho de hematologia veterinário automático; Um espectrofotômetro clínico; Um espectrofotômetro clínico; Quatro microscópios ópticos comuns; Um microscópio óptico comum; Uma centrífuga de tubos; Uma centrífuga; Uma microcentrífuga para hematócrito; Um analisador bioquímico semi-automático; Um analisador bioquímico automático; Um contador diferencial manual; Um refrigerador; Um freezer vertical; Um sistema de eletroforese para soro; Um evaporador rotativo; Um banho-Maria B. Braum; Um destilador e Um liofilizador Terroni.

• EMPRESAS PARCEIRAS

» Empresa De Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte S.A. – EMPARN; A EMPARN dispõe de dez Bases Físicas localizadas em diferentes regiões do Estado do Rio Grande do Norte. Visando à consecução de atividades de ensino, pesquisa e extensão, foram celebrados convênios entre esta Instituição e a IES UFRN e UFERSA para a utilização de toda esta infra-estrutura. Atualmente, nas atividades referentes ao curso de graduação e pós-graduação em Zootecnia da UFRN e da UFERSA, as principais unidades que são disponibilizadas aos alunos são:

» CENTRO DE PROFISSIONALIZAÇÃO EM PRODUÇÃO ANIMAL: situada no município de Cruzeta/RN com área de 594 ha, dotada de infra-estrutura para pesquisa na produção animal: setor de melhoramento de bovinos de leite da raça Pardo-Suíço, laboratório equipado de Reprodução Animal e Transferência de Embriões de Caprinos, pesquisas na área de forrageiras exóticas e nativas. Possui uma Estação Agrometeorológica completa e possibilita desenvolver pesquisas com algodão arbóreo, milho irrigado, Capim-elefante e feijão.

» ESTAÇÃO EXPERIMENTAL FELIPE CAMARÃO: situada no município de São Gonçalo do Amarante/RN com área de 465 ha, dotada de infra-estrutura para pesquisa na produção animal: setor de melhoramento genético de bovinos das raças Guzerá leiteiro, Gir leiteiro e de eqüideos. Na área de pesquisa de forragens e pastagens possui um banco de germoplasma de palmas exóticas (0,5 ha), coleção de mandioca forrageira (0,5 ha), área de cultivo de sorgo forrageiro para produção de silagem (20,0 ha), capineiras de capim-elefante (25,0 ha), cana-de-açúcar (1,0 ha), pastejo rotacionado de grama- de-burro para bezerros (0,5 ha), pastagens para pisoteio constituída de braquiárias, capim-pangola, capim- tifton, capim-elefante anão (120,0 ha), áreas de gramíneas destinadas para produção de fenos: tifton (0,5 ha), florakirk (0,5 ha), gramão (0,5 ha), coast-cross (0,5 ha) e pangolão (0,5 ha); tem todo maquinário e tratores necessários para a produção de fenos e silagem; área destinada para baterias de silos (0,5 ha), secadores solares, fábrica de ração, aprisco para ensaios de digestibilidade aparente equipado com gaiolas metabólicas (25).

» ESTAÇÃO EXPERIMENTAL EM TERRAS SECAS: situada no município de Pedro Avelino/RN com área de 1.600 ha, dotada de infra-estrutura para pesquisa em produção animal: criação de caprinos da raça Canindé, criação de ovinos da raça Morada Nova, criação de bovinos da raça Sindi, além de campos para produção de forragen sendo: capim-buffel (15 ha), banco de proteína formado por leucena (5 ha), sorgo forrageiro (10 ha), áreas para cultivo de plantas xerófilas e pesquisas com espécies florestais exóticas adaptadas ao semi-árido, sendo que o restante da área é formado por Caatinga virgem.

» ESTAÇÃO EXPERIMENTAL DE APODI: situada no município de Apodi/RN com área de 594 ha, dotada de infra-estrutura para pesquisa na produção animal: forragem principalmente capim-buffel (120  ha) e capim-urochloa (30 ha) destinados para produção de sementes e feno, criação de caprinos da raça Canindé e ovinos da raça Morada Nova, e agricultura irrigada, fruticultura tropical e produção de sementes básicas.

» UNIDADE ACADÊMICA ESPECIALIZADA EM CIÊNCIAS AGRÁRIAS: Situada no município de Macaíba, às margens da BR 304 e distando 25 km por via asfaltada de Natal, a fazenda de Jundiaí conta com uma área de 1.259 ha, sendo 910 ha totalmente agricultáveis. Cortada pelo rio Jundiaí, na direção Norte/Sul, dispõe de solos predominantemente silico-argilosos nas partes mais altas e argilo-silicosos nas várzeas. Já utiliza um precário sistema de irrigação assegurado por dois açudes alimentados por olheiros perenes. A pluviosidade na área alcança a faixa de 1.200 mm/ano e a temperatura média situa-se em torno de 26ºC, prestando-se, portanto, para a exploração agropecuária. A fazenda já dispõe de uma razoável infra-estrutura como: estradas vicinais, cercas, energia elétrica, telefonia e internet, constituída por várias construções rurais: setor de caprino-ovinocultura composto por 01 aprisco com área de 16,40 m²; setor de avicultura composto 01 área (600 m²) cercada para criação de galinhas caipiras, 01 aviário para frangos de corte (393 m²), 01 aviário para postura (85,49 m²), 01 aviário para codornas (81,0 m²) e 01 sala de aula/sanitários e sala para professor totalizando 111,18 m²; setor de cunicultura composto 02 ambientes totalizando 76,26 m²; setor de piscicultura constituído por 07 ambientes (laboratório/tanques/escritório) totalizando 1.430,0 m²; setor de apicultura composto por 02 ambientes (galpão para beneficiamento do mel) totalizando 32,0 m²; setor de suinocultura constituído por 03 unidades, 01 unidade de reprodução com 02 ambientes (378,0 m²), 01 unidade de recria/engorda com 06 ambientes (438,0 m²), 01 unidade de pesquisa com 03 ambientes (176,40 m²); setor de bovinocultura composto por: 01 estábulo (805,10 m²), currais e centro de manejo com 06 ambientes (1.780,0 m²); 01 usina de beneficiamento de sementes (USB) (380,0 m²); estrutura física suplementar composta por 01 almoxarifado (82,0 m²), 03 alojamentos para estudantes (02 para o sexo masculino com área de 1.600,0 m² e 01 feminino com área de 490,0 m²), 01 auditório (230,0 m²), 01 biblioteca setorial com 06 ambientes (298,6 m²), 01 capela religiosa (168,0 m²), 1 setor de coordenação subdividido em Agropecuária (173,0 m²) e ensino médio (48,0 m²), 01 sala para cooperativa (27,0 m²), 01 cozinha/refeitório com 04 ambientes (185,0 m²), 01 ginásio de esportes (1.100,0 m²), 01 ambiente para o grêmio estudantil composto de 03 salas (148,0 m²), 01 laboratório de ensino médio (química, física e biologia) com área de 48,0 m², 01 ambiente para marcenaria (64,0 m²), 01 ambiente para oficina mecânica/garagem/abrigo para máquinas (148,0 m²), 08 residências de servidores (736,0 m²), 01 ambiente para secretaria escolar com 03 salas (62,0 m²), 19 salas de aula (912,0 m²), sala de vídeo com 03 ambientes (172,0 m²), salão de educação física, danças e outros (96,0 m²). Cabe ressaltar que em regime de comodato 100 ha da fazenda foram destinados à implantação do Instituto Internacional de Neurociências, inaugurado em 2007 e em funcionamento.

Com a aprovação do REUNI e a criação da Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias foi construída em suas dependências as seguintes edificações: 10 salas de aula (480,0 m²), 02 salas para coordenação (50,0 m²), 02 salas de apoio técnico (40,0 m²), 01 almoxarifado (20,0 m²), 02 banheiros para docentes (20,0 m²), 01 copa (12,0 m²), 01 laboratório de informática (60,0 m²), 02 banheiros para alunos (60,0 m²), 20 salas para docentes (300,0 m²), 01 laboratório de morfologia e sistemática vegetal (50,0 m²), 01 casa de vegetação (50,0 m²) e 01 viveiro de mudas com área de 1 ha.

 

• Laboratórios e setores de pesquisa do PPGPA na UFRN:

  1. Laboratório de tecnologia de produtos de origem animal: Situado na Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias, possui área útil de 244,0m² e desenvolve atividades na área de produtos de origem animal: leite e derivados, carnes e tipificação de carcaça, desenvolvimento de novos produtos de origem animal e controle de qualidade. Na seção de leites e derivados dispõe dos seguintes equipamentos: tanque de recepção de leite; tanque para fabricação de queijo; iogurteira/incubadora; mesa com estrutura e tampo de aço inoxidável AISI 304; jogo de liras; prateleira de estocagem de laticínios; batedeira manual de 10 l; tambor (latão) de plástico para 50 l; mesa enformadora para queijo frescal e ricota; prensa para queijo; máquina dosadora para produtos líquidos e pastosos; banho-maria; seladora de pote; estante (prateleira) gradeada para secagem de utensílios; tacho aberto para fabricação de doce de leite e requeijão; fogão industrial; tacho manual em aço inoxidável; câmara frigorífica modulada medindo 3,45 x 3,45 x 2,70 m3; 01 balança digital; central de gás; exaustor (coifa); guarda-roupas em aço pintado; ordenhadeira com sistema móvel “balde ao pé”; tanque de expansão (resfriador) de leite. Na seção de processamento de carnes dispõe de: 2 trituradores/moedores de carne; misturador/homogeneizador; embutidora; 2 defumadores; moldadora de hambúrguer. Na seção de controle de qualidade dispõe de centrífuga elétrica; banho-maria eletrônico; estufa para secagem; estufa para crescimento de microorganismos; pHmetro portátil; destilador de água; refratômetros manuais; termômetros digitais portáteis; dessecador; agitador magnético; medidor de pH de bancada; acidímetro de Salut; 2 acidímetros Dornic; refrator de bancada tipo ABBE; analisador rápido de leite por Ultrassom (Ekomilk); balança de precisão.

 

  1. Laboratório de qualidade de carne e ovos (Escola Agrícola de Jundiaí): coordenado pela profa Elisanie Neiva Magalhães Teixeira, o laboratório possui sala de analise de ovos e pequeno abatedouro. Descrição dos equipamentos e suas quantidades: Duas estufas de secagem e esterilização, um ovoscópio, um paquímetro, um leque colorimétrico, dois microscópios, vidrarias de laboratório, um densímetro de petróleo, uma geladeira, um freezer vertical, uma balança digital de 3 kg, uma balança digital de 40 kg, uma balança digital grande para pesagem de macroingredientes. Possuímos uma fabrica de ração para os setores de aves e suínos.
  2. LABOLEITE (Laboratório de qualidade do leite- UFRN). Coordenado pelo prof Adriano Henrique do Nascimento Rangel. Proposta de atuação do laboratório: O Laboratório de Qualidade do Leite da UFRN vem desenvolvendo ações de pesquisa e extensão e prestação de serviço para a cadeia produtiva do leite desde 2011, gerando conhecimentos a cerca do tema e permitindo a formação acadêmica de discentes de graduação e pós-graduação, com diversos artigos publicados em revistas científicas e apresentações em eventos de abrangência regional, nacional e internacional. Os dados obtidos sobre os aspectos físico-químicos, sanitários, microbiológicos e compostos bioativos através das analises laboratoriais e as avaliações econômicas e gerenciais serão utilizados para o universo de estudos e pesquisas, trabalhos de conclusão de curso na área das ciências agrárias (monografias, dissertações e teses), artigos científicos e relatórios informativos para a comunidade científica, agentes da cadeia produtiva do leite e sociedade. Através dos resultados encontrados, propõe-se gerar informações sobre o segmento da produção primária, que podem ser incorporadas pelo mesmo, com vistas ao avanço tecnológico ao monitoramento e   gestão   da   qualidade   do   leite; à   organização,fortalecimento e competitividade do setor e à melhoria das relações produtor-indústria-consumidor. Descrição do espaço físico: A estrutura física do LABOLEITE-UFRN é planejada e se apoiar em estudos científicos e tecnologias aplicáveis, além de assumir a conjugação entre condutas funcionais e soluções arquitetônicas e de engenharia, de modo a minimizar os riscos ou preveni-los, contribuindo para a qualidade da assistência a ser prestada. Obedece a um fluxo unidirecional de pessoas e produtos, evitando cruzamento de fluxos e facilitando a higienização, de maneira a não comprometer a qualidade do leite processado, seja do ponto de vista físico-químico ou microbiológico.
  3. Setor de avicultura (UFRN): tem-se o galpão das codornas com capacidade para 1.600 aves, o galpão caipira, suportando 800 aves e o galpão de corte com capacidade de 4.000 frangos, além de contar com uma fábrica de ração, laboratório e sala de aula.

Na cunicultura, existe um galpão com 98m2, contendo sala de ração e 24 gaiolas individuais.

  1. Setor de aquicultura (UFRN): possui um prédio com 10 salas de professores e duas salas de aula. A infra- estrutura de ensino e pesquisa em aquicultura, possui tanques escavados construídos em alvenaria (08 tanques de 10 m3, 09 tanques de 25 m3, 03 tanques de 50 m3 e 01 tanque de 1600 m3). Além destes tanques de cultivo, a estação dispõe de um laboratório de limnologia, setor de larvicultura, setor de produção de peixes ornamentais, laboratório de produção em recirculação de água e laboratório de produção de peixes em bioflocos. No total, são aproximadamente 300 unidades de cultivo entre caixas d’àgua de 200 a 5000 litros.

 

 

24 de outubro de 2014. Visualizações: 2393. Última modificação: 20/08/2020 06:40:09