Início do cabeçalho do portal da UFERSA

Programa de Pós-Graduação em Produção Animal

LABORATÓRIOS DA UFERSA

 

LABORATÓRIO MULTIDISCIPLINAR


Organizado como um complexo laboratorial conta com quatro laboratórios: geral, biologia molecular, cultivo celular e biossegurança. Possui incubador shaker horizontal de mesa (Projeto Pro Equipamentos 2011), centrífuga refrigerada SIGMA 18.000rpm (Projeto Pro Equipamentos 2010), Leitora espectrofotométrica para leitura automática em múltiplos parâmetros (Projeto Pro Equipamentos 2009), máquina de gelo,capela de gazes e termociclador com gradiente. Com verba FINEP/CT-INFRA foram adquiridos os seguintes equipamentos: sistema de eletroforese para biologia molecular marca Eppendorf, sistema de transferência de géis tipo semi seco marca Eppendorf, 2 sistemas de documentação de géis marca Eppendorf, 2 cabines de biossegurança tipo A2, micropipetas monocanais de volumes variáveis e multicanal marca Eppendorf, pipetador automático, vortex, incubadora de CO2 com jaqueta d’água marca Thermo Scientific, além de vidraria. Este laboratório está em reforma de forma que estão sendo incorporados os novos laboratórios de Biologia Molecular e Phage Display, sob responsabilidade do Prof. Dr. Luiz Augusto Vieira Cordeiro, o Laboratório de Bioclimatologia sob responsabilidade da Profa. Dra. Debora Façanha Moraes e o Laboratório de Fisiologia Animal sob responsabilidade do Prof. Carlos Câmara e readequação do Laboratório de Histologia e da sala de aula de microscopia com 25 microscópios bioculares da marca Nykon e televisores de plasma de 29″ acoplados à microscópio com câmera digital para projeção dos preparados histológicos.

 

LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO ANIMAL


O laboratório de nutrição possibilita a realização de análises químico-bromatológicas de plantas forrageiras, rações e grãos para alimentação de animais monogástricos e ruminantes e é dividido em sala da administração, sala de balanças, Sala da Bomba Calorimétrica, Corpo Central, Sala de digestão, Sala de estufas de circulação de ar e Sala do moinho e área suja. Possui vários equipamentos para determinação tais como conjunto de bomba calorimétrica Micronal, capela de exaustão de gazes, 3 blocos de digestão de nitrogênio, bombas de vácuo; moinhos tipo Willey, 2 estufas de circulação de ar forçada,Forno mufla Quimis, estufa de esterilização de 105ºC, destilador de nitrogênio e de água, determinador de gordura do tipo Soxhlet, balança analítica, chapa aquecedora, dessecadores, calorímetro fotoelétrico, pHmetro, balanças de braço, agitadores de tubos marca Fanem e PHDENIX, agitador magnético, triturador de grãos Agropribor, Purificador de água por osmose reversa Adamo, banho-maria e freezer, Extrator de gordura Quimis, Destilador de Proteína Tecnal, Agitadores de bancada, chapa aquecedora, Fotocolorímetro Digimed, Incubadora Certomat, Incubador in vitro de análise de digestibilidade verdadeira e aparente modelo TE-150 marca Tecnal (Projeto Pro Equipamentos 2011) e Sistema para determinação de gordura modelo TE044-8/50 marca Tecnal (Projeto Pro Equipamentos 2011).

 

LABORATÓRIO DE SANIDADE AQUÁTICA

 

Possui área de 60m2 além de uma área experimental com lâmina de água de 240m3. Possui como equipamentos 3 estereomicroscopio, 2 microscopios, destilador, estufa certomat BS-I, Macrocentrifuga, Triturador Potters, termociclador automatico sem gradiente, cuba com fonte para eletroforese, banho-maria, camara escura/transiluminador uv e Multi-sensor de parâmetros limnológicos de qualidade de água (Edital Pro Equipamentos 2009).

 

LABORATÓRIO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS

 

Neste laboratório são realizadas as analises no leite e derivados (acidez, densidade, gordura, proteína) e análise da qualidade do mel de abelha (umidade, açúcares redutores, sacarose, atividade diastásica, hidroximetilfurfural, acidez total, cinzas, sólidos insolúveis, análise sensorial), Análise do potencial antioxidante de mel (flavonóides, fenólico, poder antioxidante). Dentre seus equipamentos estão: Termolactodensimetro (densidade), acidimetro Dornic (acidez total); butirômetro (teor de gordura); centrifuga, banho-maria, iogurteira, queijeiras, formas de queijo minas frescal e coalho, prensa para queijo, panelas de 5 e 10 litros, bandejas plásticas, liras para queijo de média textura, freezer, microprocessador de carne, embutideira, espectrofotômetro UV, refratômetro Abbé, colorimetro minolta, potenciômetro digital, câmara fria, destilador de água, fogão, geladeira, capela, balança analítica digital, mufla.

 

LABORATÓRIO DE INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL

 

LABORATÓRIO DE ANÁLISES INSTRUMENTAIS E SENSORIAIS

 

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM PEQUENOS RUMINANTES

 

Permite trabalhar com caprinos e ovinos, nas diversas áreas, pois conta com baias cobertas e um cercado descoberto sombreados. O rebanho é constituído de ovinos da raça Morada Nova e Caprinos da Raça Santa Inês. Consta também de um setor de forragicultura com um banco de germoplasma de gramíneas e leguminosas. Apresenta ainda um campo de leucena e outro de 0,7 ha de capim Tanzânia irrigado para o fornecimento de volumoso, um secador solar para confecção de feno e quinze silos experimentais. Neste setor são desenvolvidos trabalhos de nutrição, forragicultura, produção e bioclimatologia.

 

SETOR DIDÁTICO DE PRODUÇÃO DE BOVINOS LEITEIROS

 

Possui um rebanho predominantemente formado de bovinos leiteiros da Raça Holandesa Branca e Preta. Dentre suas estruturas, apresenta um estábulo coberto para manejo e bezerreiro, um estábulo coberto para experimentação,  quatro piquetes para manejo e sete piquetes experimentais. O setor dá suporte ás disciplinas profissionalizantes dos cursos de graduação e pós graduação em Ciências Agrárias. Atualmente são desenvolvidos experimentos em biotecnologia da reprodução e bioclimatologia.

 

EMPRESAS PARCEIRAS


EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA DO RIO GRANDE DO NORTE S.A. – EMPARN


A EMPARN dispõe de dez Bases Físicas localizadas em diferentes regiões do Estado do Rio Grande do Norte. Visando à consecução de atividades de ensino, pesquisa e extensão, foram celebrados convênios entre esta Instituição e a IES UFRN e UFERSA para a utilização de toda esta infra-estrutura. Atualmente, nas atividades referentes ao curso de graduação e pós-graduação em Zootecnia da UFRN e da UFERSA, as principais unidades que são disponibilizadas aos alunos são:
CENTRO DE PROFISSIONALIZAÇÃO EM PRODUÇÃO ANIMAL: situada no município de Cruzeta/RN com área de 594 ha, dotada de infra-estrutura para pesquisa na produção animal: setor de melhoramento de bovinos de leite da raça Pardo-Suíço, laboratório equipado de Reprodução Animal e Transferência de Embriões de Caprinos, pesquisas na área de forrageiras exóticas e nativas. Possui uma Estação Agrometeorológica completa e possibilita desenvolver pesquisas com algodão arbóreo, milho irrigado, Capim-elefante e feijão.
ESTAÇÃO EXPERIMENTAL FELIPE CAMARÃO: situada no município de São Gonçalo do Amarante/RN com área de 465 ha, dotada de infra-estrutura para pesquisa na produção animal: setor de melhoramento genético de bovinos das raças Guzerá leiteiro, Gir leiteiro e de eqüideos. Na área de pesquisa de forragens e pastagens possui um banco de germoplasma de palmas exóticas (0,5 ha), coleção de mandioca forrageira (0,5 ha), área de cultivo de sorgo forrageiro para produção de silagem (20,0 ha), capineiras de capim-elefante (25,0 ha), cana-de-açúcar (1,0 ha), pastejo rotacionado de grama-de-burro para bezerros (0,5 ha), pastagens para pisoteio constituída de braquiárias, capim-pangola, capim-tifton, capim-elefante anão (120,0 ha), áreas de gramíneas destinadas para produção de fenos: tifton (0,5 ha), florakirk (0,5 ha), gramão (0,5 ha), coast-cross (0,5 ha) e pangolão (0,5 ha); tem todo maquinário e tratores necessários para a produção de fenos e silagem; área destinada para baterias de silos (0,5 ha), secadores solares, fábrica de ração, aprisco para ensaios de digestibilidade aparente equipado com gaiolas metabólicas (25) .
ESTAÇÃO EXPERIMENTAL EM TERRAS SECAS: situada no município de Pedro Avelino/RN com área de 1.600 ha, dotada de infra-estrutura para pesquisa em produção animal: criação de caprinos da raça Canindé, criação de ovinos da raça Morada Nova, criação de bovinos da raça Sindi, além de campos para produção de forragen sendo: capim-buffel (15 ha), banco de proteína formado por leucena (5 ha), sorgo forrageiro (10 ha), áreas para cultivo de plantas xerófilas e pesquisas com espécies florestais exóticas adaptadas ao semi-árido, sendo que o restante da área é formado por Caatinga virgem.
ESTAÇÃO EXPERIMENTAL DE APODI: situada no município de Apodi/RN com área de 594 ha, dotada de infra-estrutura para pesquisa na produção animal: forragem principalmente capim-buffel (120 ha) e capim-urochloa (30 ha) destinados para produção de sementes e feno, criação de caprinos da raça Canindé e ovinos da raça Morada Nova, e agricultura irrigada, fruticultura tropical e produção de sementes básicas.

 

NOVAS SEDES


Com a crescente demanda nacional e internacional por produtos de origem animal, é necessário apresentar aos discentes de graduação e pós graduação uma óptica cada vez mais integrada com as demandas regionais e nacionais de tecnologias de produção. Assim, as universidades UFRN e UFERSA entenderam a necessidade de aproximar o conhecimento técnico às áreas de potencial crescimento da produção agropecuária no Estado do Rio Grande do Norte. Realizou-se então a interiorização dos cursos de ciências agrárias da UFRN para a Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias, Campus Macaíba, e a UFERSA potencializou os seus cursos de Zootecnia e cursos de pós graduação em produção animal e irrigação e drenagem com a criação do Núcleo de Geração e Transferência de Tecnologia em Produção Animal do Semiárido (NUTESA) que será construído em área rural da Cidade de Mossoró.


NUTESA – Núcleo de Geração e Transferência de Tecnologia em Produção Animal do Semiárido

 

Projeto aprovado com verba de R$ 1.173.262,00 proveniente do CHAMADA PÚBLICA MCT/FINEP/ CT-INFRA – PROINFRA 01/2009 sob coordenação do Prof. Luiz Augusto Vieira Cordeiro.
A abordagem metodológica da geração de tecnologias atualmente defende a indissolubilidade do vínculo entre ensino, pesquisa e extensão. Assim, trabalhar a formação acadêmica em sistemas onde os docentes e discentes possam realizar suas pesquisas, receber conhecimentos teóricos e transferí-los a outros agentes, sejam esses de outras instituições de ensino e pesquisa, ou até mesmo da comunidade, representa um importante veículo de difusão tecnológica de referência. A UFERSA foi criada em 2005, com a missão de levar educação, formação de qualidade e desenvolvimento sócio-econômico focalizado nas regiões semiáridas. Neste contexto, o projeto NUTESA nasceu a partir de um anseio dos docentes dos Programas de Pós Graduação em Produção Animal e Pós Graduação em Irrigação e Drenagem da UFERSA por um espaço que permitisse expandir suas atividades de pesquisa e integração com a comunidade acadêmica, cadeia produtiva e discentes de graduação e pós graduação. A implantação da Infraestrutura do NUTESA é fundamental para atender a esses objetivos, uma vez que será formada por uma rede multidisciplinar de setores que permitirá a realização de projetos de pesquisa integrados e contextualizados com as necessidades dos Sistemas de Produção Animal Sustentáveis no Semiárido. De autoria do Prof. Dr. Luiz Augusto Vieira Cordeiro e a colaboração de todos os docentes do PPGPA, todo o projeto será instalado às margens do Rio Angicos, a cerca de 12 km da Cidade de Mossoró em terreno próprio da UFERSA. O NUTESA contempla a construção de um Centro Administrativo com secretaria, 2 auditórios, alojamentos masculino e feminino para até 20 pessoas e copa/cozinha para até 20 refeições por vez. Um estábulo em sistema Free Stall para 80 bovinos leiteiros confinados em 600 m2 de área coberta, uma sala de leite com ordenhadeira mecânica para bovinos em sistema de espinha de peixe para até 10 animais, uma sala de ordenha para caprinos, um Setor de Caprinocultura para 20 animais estabulados, um Setor de Ovinocultura para 20 animais estabulados, um laboratório de processamento de produtos lácteos e produtos cárneos e um Setor de Biotecnologia Reprodutiva com laboratório, troncos e estábulos. Além disso, o NUTESA possuirá uma área de 8 ha de pasto para manejo rotacionado irrigados por sistema de pivô central, uma segunda área de 10 ha  de pasto irrigado por sistema de aspersão e uma terceira área de 5 ha de capineiras e banco de germoplasma de gramíneas a ser irrigada por sistema de gotejamento, sendo todo este projeto coordenado pelo Prof. José Francismar de Medeiros, do Programa de Pós Graduação em Irrigação e Denagem e Profa. Liz Carolina da Silva Lagos Cortes Assis, do PPGPA. As unidades experimentais serão associadas entre si, permitindo que sejam trabalhados todos os segmentos da cadeia produtiva dos principais itens geradores de emprego e renda para o pecuarista da região. Desta forma será possível trabalhar a Produção de Alimentos e Origem Animal dentro de uma visão sistêmica, contemplando todos os segmentos da cadeia produtiva. Quando em funcionamento, o NUTESA permitirá a ampliação das áreas de pesquisa em forragicultura, solos, comportamento animal, produção animal orgânica, ecologia, irrigação e drenagem, tratamento de resíduos, biotecnologia da reprodução e bioclimatologia.
No ano de 2011 obtivemos as licenças ambientais para instalação das edificações e a outorga da água do Rio Angicos para irrigação e consumo animal. Também foram realizadas as licitações e os seguintes empenhos:
·Empenho nº 2011NE801406 – Isratec Mossoró – Sistema de Irrigação – R$ 156.000,00 (sendo 155.520,00 pago pela FINEP  e R$ 480,00 pago pela UFERSA)
·Empenho nº 2011NE801407 – Asbranor Irrigação – Sistema de irrigação – R$ 97.000,00 (FINEP)
·Empenho nº 2011NE801408 – Agrovet Sul Serviços – Ordenhadeira – R$ 84.200,00 (FINEP)
·Empenho nº 2011NE801446,  801532 e 801533 – Poly Construções – Construção dos laboratórios – R$ 836.539,55 (FINEP) + 54602,26 (UFERSA)
No ano de 2012 têm-se a perspectiva de construção das edificações e instalação do maquinário no estábulo, sala de ordenha e laboratórios.

 

UNIDADE ACADÊMICA ESPECIALIZADA EM CIÊNCIAS AGRÁRIAS

 

Situada no município de Macaíba, às margens da BR 304 e distando 25 km por via asfaltada de Natal, a fazenda de Jundiaí conta com uma área de 1.259 ha, sendo 910 ha totalmente agricultáveis. Cortada pelo rio Jundiaí, na direção Norte/Sul, dispõe de solos predominantemente silico-argilosos nas partes mais altas e argilo-silicosos nas várzeas. Já utiliza um precário sistema de irrigação assegurado por dois açudes alimentados por olheiros perenes. A pluviosidade na área alcança a faixa de 1.200 mm/ano e a temperatura média situa-se em torno de 26ºC, prestando-se, portanto, para a exploração agropecuária. A fazenda já dispõe de uma razoável infra-estrutura como: estradas vicinais, cercas, energia elétrica, telefonia e internet, constituída por várias construções rurais: setor de caprino-ovinocultura composto por 01 aprisco com área de 16,40 m²; setor de avicultura composto 01 área (600 m²) cercada para criação de galinhas caipiras, 01 aviário para frangos de corte (393 m²), 01 aviário para postura (85,49 m²), 01 aviário para codornas (81,0 m²) e 01 sala de aula/sanitários e sala para professor totalizando 111,18 m²; setor de cunicultura composto 02 ambientes totalizando 76,26 m²; setor de piscicultura constituído por 07 ambientes (laboratório/tanques/escritório) totalizando 1.430,0 m²; setor de apicultura composto por 02 ambientes (galpão para beneficiamento do mel) totalizando 32,0 m²; setor de suinocultura cosntituído por 03 unidades, 01 unidade de reprodução com 02 ambientes (378,0 m²), 01 unidade de recria/engorda com 06 ambientes (438,0 m²), 01 unidade de pesquisa com 03 ambientes (176,40 m²); setor de bovinocultura composto por: 01 estábulo (805,10 m²), currais e centro de manejo com 06 ambientes (1.780,0 m²); 01 usina de beneficiamento de sementes (USB) (380,0 m²); estrutura física suplementar composta por 01 almoxarifado (82,0 m²), 03 alojamentos para estudantes (02 para o sexo masculino com área de 1.600,0 m² e 01 feminino com área de 490,0 m²), 01 auditório (230,0 m²), 01 biblioteca setorial com 06 ambientes (298,6 m²), 01 capela religiosa (168,0 m²), 1 setor de coordenação subdividido em Agropecuária (173,0 m²) e ensino médio (48,0 m²), 01 sala para cooperativa (27,0 m²), 01 cozinha/refeitório com 04 ambientes (185,0 m²), 01 ginásio de esportes (1.100,0 m²), 01 ambiente para o grêmio estudantil composto de 03 salas (148,0 m²), 01 laboratório de ensino médio (química, física e biologia) com área de 48,0 m², 01 ambiente para marcenaria (64,0 m²), 01 ambiente para oficina mecânica/garagem/abrigo para máquinas (148,0 m²), 08 residências de servidores (736,0 m²), 01 ambiente para secretaria escolar com 03 salas (62,0 m²), 19 salas de aula (912,0 m²), sala de vídeo com 03 ambientes (172,0 m²), salão de educação física, danças e outros (96,0 m²). Cabe ressaltar que em regime de comodato 100 ha da fazenda foram destinados à implantação do Instituto Internacional de Neurociências, inaugurado em 2007 e em funcionamento.
Com a aprovação do REUNI e a criação da Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias foi construída em suas dependências as seguintes edificações: 10 salas de aula (480,0 m²), 02 salas para coordenação (50,0 m²), 02 salas de apoio técnico (40,0 m²), 01 almoxarifado (20,0 m²), 02 banheiros para docentes (20,0 m²), 01 copa (12,0 m²), 01 laboratório de informática (60,0 m²), 02 banheiros para alunos (60,0 m²), 20 salas para docentes (300,0 m²), 01 laboratório de morfologia e sistemática vegetal (50,0 m²), 01 casa de vegetação (50,0 m²) e 01 viveiro de mudas com área de 1 ha.

 

24 de outubro de 2014. Visualizações: 1367. Última modificação: 17/04/2018 17:27:08